2 de julho de 2017

CORPOemado X: escuta


escuta a voz que te chama
ao peito, pergunta à
palavra que te invoca qual
porta desce ao leito, qual
falha ante o efeito
hipocondríaco do
que te come do

que te arrasa o rim do
que te alarga a fronte
corrupta ao descompasso das
pernas que te carregam ao
lírio baço do teu queixo.

escuta, canta
o grito atonal do apelo. deixa
perdurar o abraço que te afeta
impreciso. finge
o rosto em tuas
mãos, sente
cada curva, cada
dúvida.

espera a fala, deixa
a palavra se erguer ante
a boca. carrega
nos ombros o peso
veloz do lábio, infringe
o céu no gosto
surdo dos braços e
escuta.

fábio pessanha

3 comentários:

Daniele Negreiros disse...

Muito bom de ler. Parei tudo aqui pra ler em voz alta esse teu poema.
Repasso os aplausos.

Fábio Santana Pessanha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fábio Santana Pessanha disse...

Daniele!! Que bom te encontrar por aqui! Muito obrigado pelo comentário!! E que honra te fazer parar um momento para conversar em poema comigo!! Gratidão!!